DESASTRES NATURAIS OU PECADO - O QUE É MAIS PERIGOSO?

 DESASTRES NATURAIS OU PECADO - O QUE É MAIS PERIGOSO?

Muitas pessoas, preocupadas com a preservação do meio ambiente, temem que um dia "o mundo
possa acabar" por causa de um desastre nuclear. Na Alemanha, por exemplo, está sendo realizado um
plano de desativação das usinas atômicas. Entretanto, os perigos que realmente ameaçam nosso
mundo são o pecado e o afastamento cada vez maior do Criador. O mais profundo sofrimento da
humanidade não ocorrerá por causa da explosão de algum reator nuclear, mas devido aos vindouros
juízos de Deus.
Isso não significa que devemos ser cidadãos irresponsáveis com relação ao meio ambiente. É preciso
evitar tudo que possa prejudicá-lo, pois somos responsáveis pela criação. Entretanto, hoje em dia, as
prioridades estão sendo claramente invertidas e as verdadeiras razões das aflições da humanidade
não são levadas em consideração. As maiores catástrofes da história mundial foram conseqüência da
obstinada persistência no pecado. O Dilúvio não foi provocado por fatores de desequilíbrio ambiental,
mas porque "a terra estava corrompida à vista de Deus e cheia de violência" (Gn 6.11) e Ele
resolveu "dar cabo de toda carne" (v. 13). Sodoma e Gomorra não desapareceram por causa de um
desastre nuclear, mas devido aos pecados abomináveis cometidos nessas cidades, que foram
julgadas conforme a vontade de Deus. Também no futuro, o maior perigo não virá de reatores
nucleares, mas da potência explosiva do pecado.
Vamos lembrar quatro coisas que são mais perigosas do
que qualquer ameaça nuclear:
1. A crescente injustiça, a negação de que Deus é o Criador
e a Sua exclusão da vida da sociedade humana trazem
consigo a degeneração dos homens: "A ira de Deus se
revela do céu contra toda impiedade e perversão dos
homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto
o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles,
porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos
invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como
também a sua própria divindade, claramente se
reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo
percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais
homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo
conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus,
nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em
seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o
"Os atributos invisíveis de Deus, assim o
seu eterno poder, como também a sua
própria divindade, claramente se
reconhecem, desde o princípio do mundo,
sendo percebidos por meio das coisas que
foram criadas."
2
coração insensato" (Rm 1.18-21).
2. A negação de Jesus como o Filho de Deus ressuscitado dentre os mortos, como a Verdade
absoluta, e a rejeição da salvação através dEle provocam o acúmulo de uma "força atômica" espiritual
que Satanás vai liberar através do Anticristo: "então, será, de fato, revelado o iníquo, a quem o
Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda.
Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e
prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram
o amor da verdade para serem salvos" (2 Ts 2.8-10).
3. O constante aumento da maldade, a perda de qualquer padrão moral, a quebra de todas as leis e o
amortecimento das consciências prejudicam mais o meio ambiente do que todos os reatores nucleares
juntos. O profeta Oséias já escreveu: "O que só prevalece é perjurar, mentir, matar, furtar e
adulterar, e há arrombamentos e homicídios sobre homicídios. Por isso, a terra está de luto, e
todo o que mora nela desfalece, com os animais do campo e com as aves do céu; e até os
peixes do mar perecem. Todavia, ninguém contenda, ninguém repreenda; porque o teu povo é
como os sacerdotes aos quais acusa" (Os 4.2-4).
4. A crescente oposição mundial ao povo judeu e ao seu direito à terra de Israel, representa um perigo
maior para o mundo do que qualquer ameaça nuclear. Deus disse: "Congregarei todas as nações e
as farei descer ao vale de Josafá; e ali entrarei em juízo contra elas por causa do meu povo e da
minha herança, Israel, a quem elas espalharam por entre os povos, repartindo a minha terra
entre si" (Jl 3.2). "E, com grande indignação, estou irado contra as nações que vivem
confiantes; porque eu estava um pouco indignado, e elas agravaram o mal" (Zc 1.15).
A busca pessoal por Jesus Cristo, entretanto, liberta-nos do medo que domina o mundo. Ele nos
oferece abrigo e segurança para o futuro. Devemos lembrar que a terra não está entregue a si mesma,
nem ao acaso, mas se encontra nas mãos dAquele que sustenta todas as coisas pela palavra do Seu
poder: Cristo. É o que Paulo diz em Hebreus 1.3: "Ele, que é o resplendor da glória e a expressão
exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a
purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas". (Norbert Lieth -
http://www.chamada.com.br)
Extraído da revista Chamada da Meia-Noite , abril de 2004.

Assine Agora.

Receba Estudos Biblicos diariamente no seu E-mail.