Homossexualismo: Evolução da Espécie ? "Erro" de Deus?

Homossexualismo: Evolução da Espécie ? "Erro" de Deus?

Antes de mais nada quero explicar que não sou homofóbico, ao menos no sentido em que compreendo essa palavra tantas vezes usada e cuja definição ainda está longe de ser  única.
Homofobia, indo pelo caminho mais lógico significaria Medo de Homossexuais...como não tenho medo deles não é meu caso.
Como também não me vejo no papel de agressor dessa comunidade
e já tive ao longo da vida vários amigos que dela fazem parte, sempre os tratando com respeito e consideração, não me considero inimigo dos mesmos.
O que me incomoda é a diversidade dos discurso, a falta de uma lógica coerente dentro do próprio "movimento".
Alguns defendem o homossexualismo dizendo que é genético, que ninguém "vira" homossexual, já se nasce assim e que são fatores hormonais ou o que quer que seja, que determinam a sua atração sexual por pessoas do mesmo gênero.
A levar em conta essa premissa, e considerando o significativo aumento do número daqueles que "saem do armário" , estariamos diante de uma aparente " evolução da espécie " ou de uma mutação genética , estaríamos então na era dos X-gay ( por favor, não entendam isto como chacota ). Se os X-men dos quadrinhos e agora da filmografia possuem em seu DNA um chamado fator X que lhes dá os poderes variados, poderíamos considerar que, no caso dos homossexuais existisse um fator G ( talvez então fosse melhor G-men) .Como ninguém ainda foi capaz de isolar ou determinar tal fator , fica complicado falar em uma mutação ou evolução da espécie.
Falando em evolução da espécie, os que defendem a sua teoria , criada por Charles Darwin, acreditam que a espécie evolui ao longo do tempo no sentido de perpetuar a espécie, do nascimento de indivíduos cada vez mais fortes ou adaptados ao meio-ambiente.
Como é biológicamente impossível que de  uma relação  homo-afetiva , nasçam novos indivíduos ( inseminação artificial não conta )  parece-me então que não podemos seguir esta linha de raciocínio.
Outro discurso que me incomoda realmente é aquele do homossexual religioso que alega que Deus colocou um espírito feminino em um corpo masculino ou vice-versa.
Embora o discurso pareça singelo, entramos aqui em um terreno delicado.
Entendamos:
Se existe um dogma único ao Cristianismo, Judaísmo e Islamismo, para citar apenas algumas das religiões, esse dogma é o que diz respeito à perfeição de Deus.
Portanto, Deus é para a religião um ser perfeito. Em sendo um ser perfeito não comete falhas ( se cometesse falhas não seria perfeito)
Rezam as escrituras sagradas das religiões ( ao menos das que eu conheço superficialmente ou com um pouco mais de profundidade)
que Deus ( tenha lá ele o nome que lhe conferirem ) criou o homem e a mulher, ponto.
Todas as histórias de criação falam de homem e mulher com o fim de reproduzir e povoar a terra.
Seria no mínimo estranho imaginar um mundo onde houvessem apenas homossexuais. A existência da espécie jamais seria perpetuada.
Como o homossexualismo não é nenhuma novidade na história da humanidade, sendo inclusive praticado ( segundo consta na história ) por vários indivíduos, inclusive chefes de estado , filósofos, pensadores, guerreiros e etc, não poderíamos nem considerar que seja um "sinal dos tempos"  no sentido de apontar para um momento onde a fila  dos espíritos que esperam para nascer já esteja próxima do fim.
Parece-me, portanto, que , por mais teorias que se criem para "justificar"  a opção das pessoas pelo homossexualismo, nenhuma delas resiste a uma análise mais aprofundada.
A pessoa tem o direito de ser homossexual?
Claro que tem! Cada um tem om direito de escolher o que considera mais adequado para sua vida. Tanto os homossexuais como os heterossexuais teem o livre arbítrio para viver segundo os ditames de sua própria consciência, no entanto todos nós, a cada escolha que fazemos, devemos assumir as consequências destas.
O que incomoda a sociedade, no geral, não é a opção sexual de cada um, o que passa a criar um antagonismo em determinados momentos é aquele clima de "superioridade de direitos"  que alguns grupos sociais  que se intitulam minorias parecem buscar como uma espécie de ressarcimento ou proteção especial contra outros.
Qual a diferença entre se espancar um homossexual ou um heterossexual?  Nenhuma, em ambos os casos existe crime.
Será que é mais grave matar um hetero do que matar um homo?
Claro que não! Ambos são seres humanos e tem direito à vida.
É justo julgar com mais severidade quem agride um homossexual do que quem agride um hetero?
Também não, o mesmo peso deve ser dado a ambos os casos.
É necessário sim, preservar os direitos dos homossexuais e dos heterossexuais, é preciso educar o povo para aceitar as diferenças, para aprender a conviver com a diversidade racial, social, sexual, religiosa, ideológica e etc.
É preciso denunciar os exageros?
Claro que sim, a lei está aí para ser cumprida.
Não podemos é cair na armadilha de legislar de maneira diferente para cada grupo social, sob o risco de que a lei se torne uma torre de babel onde cada tribo fale uma língua diferente da outra.
Às vezes, uma luta que parece mais do que justa, pode ter efeito totalmente contrário ao esperado.
Existem sim homofóbicos de plantão , pessoas despreparadas para lidar com a diversidade mas, a cada direito diferenciado que se estabelece para determinado grupo, esse sentimento de repulsa apenas se acentua.
É preciso dialogar com seriedade, é preciso não cair na armadilha do discurso mais cômodo.
É preciso não encontrar teorias ou desculpas onde elas não são necessárias.
Ser homossexual é opção de cada pessoa e ponto final.
Não significa ser pior e nem melhor do que os outros apenas por isso.
Quem nos dera que todos os problemas do mundo e do nosso país fossem apenas os relacionados à opção sexual, no entanto também este problema passa pelo grande funil gerador de desigualdades e de intolerância.
Todos os nossos problemas só serão minorados ou solucionados através da educação de qualidade para todos.
Educação de qualidade passa não apenas pelas disciplinas acadêmicas, mas pela educação para a cidadania.
Somos todos membros de uma mesma sociedade, tanto faz a raça, o credo ou a opção sexual e como cidadãos precisamos aprender a respeitar as individualidades e as diferenças.
A violência só gera mais violência, a contenda só gera mais contenda.
Sejamos sinceros...que diferença faz na minha vida se fulano ou beltrano é hetero ou homossexual , desde que me respeite? Nenhuma.
Se meu padeiro ( apenas um exemplo ) for homossexual o pão vai ser melhor ou pior por causa disso? Claro que não...vai ser melhor ou pior dependendo da habilidade do profissional.
Se minha chefe for homossexual isso a torna menos competente?
Também não!
É preciso que entendamos que uma coisa não tem nada a ver com a outra. O caráter de uma pessoa não pode ser  avaliado apenas pela opção sexual de cada um.
No meu ponto de vista, ninguém deve ser promovido ou rejeitado baseado em uma coisa sem ligação com o desempenho profissional.
 Jorge Linhaça
Contatos com o autor

Assine Agora.

Receba Estudos Biblicos diariamente no seu E-mail.