Andar de bicicleta sem as rodinhas.

Pedro era uma pessoa que sabia pescar. No entanto, em uma noite específica, algo aconteceu de errado, e Pedro, junto com seus amigos, não conseguiram pescar nada. Esse fato podemos acompanhar no Evangelho de São Lucas, capítulo 5, versículos de 1 a 6.
Sendo Pedro, uma pessoa que sabia o que estava fazendo naquela noite, e com certeza ele sabia onde jogar as redes ao mar, e também sabia em quanto tempo retirar-las, ficou frustrado, pois nada havia pescado. Pedro entendia que todas aquelas pessoas que estavam naquela barca podiam confiar nele, pois ele era um especialista em pesca. Era Pedro quem indicava onde e quando jogar as redes. Por tudo isso, eu fico imaginando a frustração de Pedro quando ao final daquela noite eles simplesmente não tinham pescado nada. Ao amanhecer do dia, com certeza vários sentimentos negativos estavam rondando a cabeça de Pedro, e eu acredito que a vontade dele naquele momento era de ir embora para casa para descansar e ficar mais quieto.
Diante de todo esse contexto, chega uma pessoa (Jesus Cristo) e pede para Pedro voltar ao mar e jogar novamente as redes. Vamos rever o versículo 4: “Avance para águas mais profundas, e lancem as redes para a pesca.
É importante entendermos que naquele momento Pedro não conhecia Jesus como o Messias, Pedro não conhecia Jesus como nós conhecemos hoje ou como ele veio a conhecer mais tarde. Naquele momento da vida de Pedro Jesus era somente uma pessoa comum.
Pedro que era especialista em pesca e escuta de uma pessoa comum, uma pessoa que não entendia de pesca, para jogar novamente as redes. Fico imaginando que uma das coisas que poderia vir a cabeça de Pedro era o seguintes: “Eu sou muito bom no que faço, sou pescador a muitos anos e passei a noite naquele mar jogando as redes e não pesquei nada, e agora vem aqui esse homem e pede para eu jogar as redes novamente, quem ele pensa que é?!
No entanto não foi isso que aconteceu. Pedro abriu mão de tudo que ele entendia como pescador, Pedro abriu mão de sua dignidade, pois ele era especialista em pesca, ele abriu mão de sua inteligência, uma vez que se ele não conseguiu nenhum peixe a noite todo foi por um motivo: não tinha peixe naquele lugar. Pedro abriu mão de tudo que ele tinha aprendido com o pai dele sobre pescaria e aceitou o que Jesus tinha lhe proposto. Pedro acatou o que Jesus disse, veja no versículo 5: “Mestre, tentamos a noite inteira, e não pescamos nada. Mas em atenção à tua palavra, vou lançar as redes”.
Isso que aconteceu naquela noite com Pedro, acontece hoje conosco o tempo todo. Quantas vezes nos deparamos com situações em que fazemos tudo que podemos fazer em uma determinada situação e nada dá certo. Quantas vezes lutamos muito e não conseguimos chegar a nenhum objetivo. Isso acontece conosco pelo mesmo motivo que aconteceu com Pedro. Jesus quando pediu para Pedro jogar as redes novamente, não estava pedindo para jogar as redes em qualquer lugar. Era para Pedro jogar as redes em lugares mais profundos, e jogar as redes em lugares mais profundos não é fácil, mesmo para Pedro que era especialista em pesca. Quantas vezes ficamos na mesmice do dia-a-dia e não conseguimos enxergar que para as coisas darem certas devemos ir além; ir para áreas mais profundas. E da mesma forma que Jesus falou para Pedro naquela noite, Ele vem e fala para todos nós: “Volte para o mar e jogue as redes”.
Atenção, não é para lançar as redes em qualquer lugar! Jogar as redes em qualquer lugar é muito fácil, não requer esforço nenhum, pois já sabemos fazer isso, somos especialista nisso. O que Jesus está nos propondo na verdade é para irmos além, caminharmos para lugares onde ainda não fomos. Muitas vezes não conseguimos ir em lugares mais profundos porque temos medo. Igual uma criança que está aprendendo a andar de bicicleta. A criança não anda sem rodinhas de jeito nenhum. A questão é que a criança andando de rodinhas o passeio dela é limitado, ela brinca e passeia no máximo em uma pequena praça ou jardim. Andando de rodinhas a criança não consegue visitar a cidade e conhecer novos lugares. Nós precisamos arrancar de nossas vidas as rodinhas de nossa bicicleta, pois elas nos limita, e com isso não conseguimos fazer o que Jesus está nos pedindo: “lançar as redes em águas mais profundas”.
O pedido de Jesus consiste em nos libertar do medo do novo. Somos medrosos e a nossa vida se limita a mesmice. E isso, a pedido de Jesus, tem que ter um fim. Chega de superficialidade em nossas vidas; é preciso crescer, viver o novo e sobretudo ir além, sempre com a ajuda de Jesus, sempre perguntar para Jesus onde caminhar e onde exatamente jogar as redes, pois só assim abandonaremos as rodinhas da bicicleta e viveremos sem medo.

Assine Agora.

Receba Estudos Biblicos diariamente no seu E-mail.