Melquisedeque e a Doutrina dos Dízimos

Melquisedeque e a Doutrina dos Dízimos

Melquisedeque e a Doutrina dos Dízimos

Devido ao grande numero de ratos de tesouraria, ladrôes de púlpitos, e mercenários da fé. Muitas pessoas tem questionado a doutrina dos dízimos, e alguns tem usado erroneamente textos isolados da bíblia para negá-lo.
Não podemos negar as escrituras por causa do pecado e da rebeldia dos homens.
Na verdade o dízimo serve pra isso mesmo, para ver o quanto a ganância, a avareza, e outros pecados materiais e de posse está enraizado na alma do homem, principalmente no coração dos lideres.
É hora de conhecermos os textos bíblicos com mais seriedade, e assim fazer diferença entre um líder que serve a Deus, de um líder que serve ao dinheiro e usa a igreja para enriquecer.
Hoje em dia a maioria dos lideres é corrupta ou corrompível.


“Porque ele assim testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque”. Hebreus 7:17

Na história bíblica, há pelo menos duas ordens sacerdotais.
1. Ordem de Melquisdeque, que é uma ordem eterna, possivelmente o próprio Cristo, e alcança todas as nações.
2. Ordem de Arão, sob cuja égide se elegeu a lei mosaica, e tem relação apenas com Israel.
3. Nos tempos de Jesus o sacerdote era de ordem política, nem descendia de Arão.


“E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo.E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra;E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo”. Gênesis 14:18-20

Há duas possibilidades em Melquisedeque:

1. Ele é o próprio Cristo teofânico, portanto sacerdote eterno.
2. Ele é o sacerdote, de cuja ordem Cristo também é sacerdote.

Ora se Ele é o próprio Cristo, não houve mudança de sacerdote, e se Cristo é da mesma ordem também não houve mudança de ordem sacerdotal.


Heb. 7:12: “Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei”. 

Ai, eu me pergunto, estamos sob uma nova ordem sacerdotal? Ou estamos sob a ordem sacerdotal de Melquisedeque que é a mesma de Cristo?


“Porque este Melquisedeque, que era rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou; a quem Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça e depois também é rei de Salém, que é rei de paz; sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas, sendo semelhante ao filho de Deus, permanece sacerdote para sempre. (Hebreus 7:1-3)”

 Se ele é sacerdote para sempre, não haverá mudanças na lei, uma vez que não houve mudança de sacerdote. Mas isso não tem nada a ver com a lei de Moisés, pois para Israel a ordem sacerdotal é a de Arão, que está sob a lei.

Mas para a igreja, a ordem sacerdotal que vige é a ordem de Melquisedeque.
Logo a doutrina sacerdotal de Melquisedeque deve ser praticada pela igreja.

Baseado no sacerdócio eterno de Melquisedeque, que é o mesmo de Cristo Jesus, posso afirmar que a pratica do Dízimo é eterna.


De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? Hebreus 7:11

Porque levantar a antiga ordem sacerdotal?
A reposta é óbvia, retomar a Ordem de Melquisdeque, que é sacerdote eterno, não é suscetível ao pecado, alcança todas as nações, não apenas Israel. Segue preceitos não baseados na lei de Moisés, mas na doutrina de Melquisedeque que é o próprio Cristo.

Então a doutrina da graça é mais antiga que a lei mosaica.
Absolutamente, a  Graça nasceu no coração de Deus no dia em que Deus soprou nas narinas do boneco de barro.
Ali Deus amou-nos acima de tudo, e nos escolheu para fazer diferença na terra, sem olhar para lideres corruptos, muito menos segui-los.
Siga a cristo, Sacerdote eterno da ordem de Melquisedeque, cuja doutrina é anterior e paralela à lei de Moisés, e recebe dízimos.


Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus;” Hebreus 7:26

Veja Davi falando sobre o sacerdócio de Melquisedeque.
“O teu povo será mui voluntário no dia do teu poder; nos ornamentos de santidade, desde a madre da alva, tu tens o orvalho da tua mocidade.Jurou o Senhor, e não se arrependerá: tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque”. Salmos 110:3-4
A santa Ceia é outra doutrina que muitas pessoas tem tentado negar ou mesmo distorcer, mas ela aparece antes da lei de Moisés, já junto ao sacerdócio de Melquisedeque, e tudo que está ligado a este sacerdócio é preceito eterno para quem está sob a égide desta doutrina, uma vez que o possuidor legal dos direitos doutrinários também é eterno. O sacerdócio de Melquisedque é eterno, portano não houve mudanças nem haverá, nestes dois pontos.
“E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo.E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra;E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo”. Gênesis 14:18-20.
A aliança ente Deus e os homens por meio de Jesus Cristo é eterna e anterior a Lei mosaica, foi apenas afiançada após a lei, mas seus preceitos são eternos, portanto é dever do Cristão ser dizimista fiel, não legalista, nem por esperar receber algo em troca. Mas como sinal de rendição, gratidão e adoração a Deus;
“De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador.E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer,Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo”. Hebreus 7:22-24

Autor Pastor Davi Barbosa

Assine Agora.

Receba Estudos Biblicos diariamente no seu E-mail.