ESTUDO BIBLICO - A ARMA SECRETA


ESTUDO BIBLICO - A ARMA SECRETA

Enormes limusines escoltadas pela guarda nacional chegam à frente do edifício OIKOUMÉNES, trazendo homens da máxima importância no cenário político-cultural do universo. Pessoas extremamente importantes e populares, que apressadamente se valem dos elevadores expressos, para alcançarem o 66o. andar. Na sala de reuniões, uma mesa enorme, com 66 lugares, é pouco a pouco tomada pelos executivos. Microfones, caixas, câmaras, fotógrafos, todos aguardam o início. 12 horas. Todos assentados. Num dos lados da mesa, um dos senhores presentes, gordo e elegante, pede a palavra:

-”Senhores, bom dia. Nosso presidente, Sr. Apoliom, intimou-nos a tomar certas medidas urgentes, tendo em vista sua próxima manifestação decisiva ao mundo. Os senhores não podem imaginar sua ira e enfurecimento! Avisou-nos que, se não conseguirmos resultados satisfatórios, irá depor todo o ministério...
Um lamento geral se ouviu de todos os 65 presentes. Sim, faltava um componente, justamente o Sr. Apoliom. Seu primeiro ministro, na outra ponta, é quem havia transmitido o duro recado.

-“Ouviremos agora o supremo comando militar em seu pronunciamento.”

Levantou-se um militar, condecorado até aos dentes, suando frio, e com o rosto em fogo.

-“Senhores, nós, da brigada dos principados e potestades, não temos obtido sucesso no combate a Jesus Cristo e sua igreja. Não agüentamos mais bramar, bramar, colocar tropeços, cavar buracos, armar ciladas. Os resultados são sempre os mesmos: os crentes caem na primeira investida, mas o Espírito Santo os conduz ao arrependimento, e daí nossas armas não funcionam mais. Já perdemos inúmeros enredados. Satanás está uma fera...
Percebia-se na face de todos um suor frio e preocupante. Estava em jogo a manutenção do poder, e parecia que estava demonstrando naquela altura pouca eficiência.

-“Ouviremos agora o comandante da esquadrilha das regiões celestes”.

Outro general se levantou. Tomando vários papéis às mãos, passou a falar:

-“Senhores, temos sentido as mesmas dificuldades. Nas regiões celestes as coisas já não são as mesmas. Antes conseguíamos dominar a brigada de Miguel, e seus anjos eram facilmente vencidos. Conseguíamos investir contra os crentes, prejudicando suas orações, quebrando suas consagrações, desvirtuando seus jejuns, operando com eficácia contra seus objetivos. Entretanto, desde que o Espírito Santo começou a reavivar a sua igreja, enchendo-a de Sua presença, os crentes passaram a vencer-nos e, com isto, nossos soldados se enfraqueceram ante a presença de Miguel. Perdemos várias esquadrilhas, danificaram nossas armas, confundiram nossos propósitos, e vemos a glória de Deus tomando nosso espaço...

Começou a chorar desesperadamente. Dois soldados conduziram-no até o pátio, para que tomasse um ar e renovasse as forças. Os outros tremiam com as canetas à mão, como quem não via saída para a crise. Parecia que seus dias no governo estavam contados.

-“Senhores, eu também desejo dizer algo - afirmou o ministro das águas mundiais, colocando-se de pé - Como todos sabem, nos mares tínhamos verdadeiras colônias de soldados, principalmente nas águas de Salvador, no Brasil, nos países africanos e na Índia. Mas, devido ao crescimento da atuação do Espírito Santo - e fez um gesto de desespero, como que sentindo forte dor no coração, várias colônias foram desmanteladas e transmudadas para o abismo. A máscara feminina que usávamos no Brasil, tem cada vez menos adeptos, pois, quando nossos escravos começam o sacrifício, os crentes ficam orando, distribuindo literatura de ofensiva e pregações-relâmpago, desvirtuando e enfraquecendo nossas águas. Não sei o que fazer. Não sei mesmo...

Forte alvoroço na mesa. Em desespero, cada um acusava o ministério do outro.

Uns acusavam o Sr. Adultérius, por estragar o casamento e tornar inexistente a infidelidade, já que todos eram infiéis. Outros gritavam ao Sr. Engodo, que permitia que a verdade fosse tão divulgada, e de forma tão livre. Outros ainda berravam contra o Dr. Médiuniun, por não inovar suas manifestações espíritas sobre os terreiros, centros e mesas. Enfim, era um pandemônio que se via. De repente, ouviram uma forte batida na porta. Nem haviam se apercebido que dois homens adentraram à sala, escoltados pela guarda abadônica, exclusiva do Sr. Apolion. Estavam fortemente armados, e com sarcasmo no rosto. Tratava-se do chefe da espionagem secreta e assessor de manobras estratégicas.

-“Silêncio! Ouçamos o que os enviados têm a dizer. Podem falar. - Foi a declaração do primeiro ministro. tomando o microfone, o Chefe da Polícia Secreta deu um interessante relatório:

-“Estive, sob ordem do Sr. Apolion, investigando pelo mundo a atuação dos crentes, para encontrar algum ponto fraco, alguma área desprotegida, alguma junta não protegida pela armadura de Deus. Infelizmente pouco descobri. Conforme pesquisa anterior, principalmente depois que os avivamentos estouraram no universo. Sim, ganhamos algum terreno, quando alguns se enveredaram para o nosso lado, falando nossas línguas, tendo nossas manifestações, fazendo nossa vontade. Ainda há alguns remanescentes disto, na pessoa de grandes líderes gananciosos por fama e poder. Mas decrescem a cada minuto. Certas igrejas estão surgindo, como as Comunidades, a Comunhão, as Missões independentes que nos estão nos destruindo. As igrejas tradicionais, a batista, a presbiteriana e a menonita, inventam cada dia mais em missões para o mundo, e seus membros estão se santificando profundamente, o que nos tirou de cena de muitos lugares. Não está mais havendo briga como antes, disputas denominacionais, cisões., brigas por poder, divergências doutrinárias. Há um forte desejo de buscar a Deus, ouvir Sua palavra, atender ao seu Espírito, e isto em todo canto. Certos movimentos estão surgindo, agregando jovens em todos os lugares, concentrando tamanho poder, que nossos soldados saem aos gritos, não resistindo à abertura dada a Deus. Parece que os cristãos verdadeiros não estão mais querendo misturar-se com a idolatria, a necromancia, o carismatismo, o ecumenismo, e isto é mau. Mau mesmo...

-“Mas eu tenho a solução!”- Exclamou o Assessor de Manobras Estratégicas. Entretanto, sem erguer as frontes dos céticos e derrotados ministros.

-“Descobri a única arma contra os crentes, capaz de DETONAR suas próprias igrejas, e ainda torná-las nossas agências de apoio, e isto em poucos meses!

-“Esse cara é louco!”- Exclamou o Sr. Venenus.

-“Vai dormir, seu escarnecedor! “- gritou o Sr. Feitiçus. - Não será você que irá nos ensinar o que fazer o que não conseguimos em séculos de disputas. Estamos é realmente perdidos...”

-“Isto é o que V.Excelência pensa, Sr. Feitiçus. Antes de vir para cá, tratei de testar a teoria, e consegui, no prazo de 6 meses, mais de quatro mil adeptos numa só cidade!”

Êxtase total. Todos olharam para ele, ansiosos para saber como e aonde.

- “O Espírito Santo está unindo o Seu povo. Muito bem. Estão falando uma linguagem semelhante, cantando cânticos iguais, saudando-se de formas semelhantes, orando praticamente num consenso. Então eu pensei comigo: ora, se isto está acontecendo, por que não tirar vantagem? Lá no Brasil, por exemplo, o Life do Sul está estendendo um lençol de louvores pelo Brasil, cativando crentes de todas as igrejas; as Comunidades crescem numa proporção monstruosa; as missões de louvor e adoração também. Nas igrejas tradicionais há um espírito de unidade e espiritualidade. Ora, por que não pedir ao Dr. Mentirus, que use toda a sua perspicácia e engano, para envolvê-los no maior embuste deste século? Isto fiz. E eis o resultado.

Foi ligado o videocassete embutido, abrindo enorme tela na parede com visão tridimensional. Todos aguardavam o programa. O que será? Falar em línguas? Não, já foi tentado e atualmente não tem dado muito resultado. Ecumenismo? Também é coisa do passado, só alcançando metodistas, anglicanos, luteranos e alguns poucos de todas as denominações evangélicas. Então o que seria? Começa a fita. Um grande salão, repleto de jovens. Uns 5 mil, mais ou menos. Gente de toda espécie. No palco, uma parafernalha gigantesca de som e luz. As pessoas se espremem no espaço disponível. De repente, todos gritam. Começa a programação. O líder diz:

-“Aí, moçada, um som muito louco vai rolar. Vamos entregar o programa ao dono de tudo isto: Jesus...

-“Um momento - diz o primeiro ministro - Isto é uma abominação!”

-“Espere um pouco, Sr. Ministro. Só um pouco.”

A fita continua. Na oração, o líder diz:

-“Derrama tua energia viva, para que te sintam!”

Em seguida, entra o grupo Céu 6, num som bárbaro e eletrizante. A câmara mostra a moçada... delirando! Meninos agarrados maliciosamente aos pares, dançando soul, funk, Rap, rock, lambada, afro, samba, e muito mais.

-”Sr. Assessor, o senhor mudou a fita? Isto é programa nosso!”

-“Ai está a jogada, Sr. Ministro; são eles mesmos que estão fazendo isto!”

Em seguida, ouviram muitos améns, glória a Jesus, gritos de rock, danças e carnalidades à vontade. Então o líder pediu para que todos se assentassem para ouvir um rapaz testemunhar. Sendo ele, Deus é uma energia, muito louco e sensacional. Segundo ela, igreja é caretice, coisa quadrada, “morocoxó”. Isto seguido de améns de todos os lados. Feito um apelo, as pessoas se submetem à energia.

-“Mas este é o Deus HÁ, Sr. Assessor!”

-“Ai está a nossa estratégia, senhores. Ai estão batistas, pentecostais, comunidades, presbiterianos, luteranos, e toda sorte de missões independentes. Eles não sabem, mas aprendemos sua língua, seus chavões, seus efeitos emocionais, suas palavras de ordem, seus apelos e estamos usando de tal forma que, quando perceberem, estarão crendo em nós, pensando num Jesus Força, eletricidade, doidão, loucão, sem igreja, sem vida, um idiota perfeito, uma droga espiritual, um grande barato!”

Todos, unanimemente, levantaram-se, aplaudindo e dando gritos de urra ao Assessor. Agora estavam salvos, pois que, contra esta arma, os ingênuos cristãos não estavam imunes. Cairiam como patos na armadilha. Seria só uma questão de tempo. Ademais, as experiências estavam dando certo. Lá fora os fotógrafos aguardavam a saída. Os elevadores estavam descendo. As portas do edifício se abriram e, para surpresa de todos, em lugar de descerem executivos, saíram 65 missionários, de bíblia em mãos, com glórias nos lábios, como os olhos cheios de entusiasmo, dizendo que precisariam cumprir a vontade de Deus, libertar o louvor, unir os cristãos, converter os jovens, etc. Lá estavam 65 novos movimentos que, dentro de meses, estariam em evidência no mundo inteiro...

Esta é uma ficção. Apenas e tão somente uma ficção.

Wagner Antonio de Araújo
Pastor da Igreja Batista Boas Novas, Osasco, SP

Assine Agora.

Receba Estudos Biblicos diariamente no seu E-mail.