CUIDADO COM O LOBO!!!

 O que leva um Cristão a se tornar um divisor do seu Ministério? Quais as influências que o conduzem a dividir a obra do Senhor?
A palavra "DIVISOR" é oriunda do verbo dividir, e significa : repartir alguma coisa, desunir, separar e discordar.
Nas Sagradas Escrituras, o Senhor Jesus nos mostra várias passagens onde ocorre a discórdia, termo que vamos usar para demonstrar o perigo da ação de um divisor, dentro da Obra do Senhor.
O orgulho pessoal, a exaltação do EU é que lança raízes para se criar um divisor ministerial ( II Samuel 14:25; Ezeq. 28:17 ).
 Em todas as Escrituras , não encontramos um só caso onde o EU pessoal tenha triunfado sobre a humildade. Muito pelo contrário. Muito pelo contrário. Se o crente quiser vencer o seu adversário, terá que lembrar que a sabedoria humana não vence a Satanás ( Ezeq. 28:3 ), mas a humildade sim, ela prevalece sobre as forças de Satanás ( Mt 11:29 ). Jesus claramente nos deixa exemplos de que nós temos que anular o nosso EU, o orgulho pessoal, para que possamos nos encher da humildade de Cristo. Porque a humildade de Cristo é temor, é sabedoria ( Jó 28:28 ; Pv 9:10 ).
A soberba também tem relação com orgulho pessoal ( Pv 11:2; Mc 7:21-22 ). Estes são males que conduzem o homem a criar em seu coração a auto-suficiência, ou seja, ele não precisa das pessoas que estão à sua volta. Afinal, ele é uma pessoa altamente capacitada. Não acata ordens nem orientações de superiores. A soberba faz com que o homem passe a ver os seus companheiros de uma forma inferior.
Em seu orgulho, não aceita nem mesmo conselhos de pessoas menos graduadas do que ele.
Em I Tim. 3:2-2, Paulo fala a respeito do egocentrismo e do amor próprio, produzidos pela soberba do homem. Através do Evangelho, aprendemos a nos despojar do velho homem ( Ef 4:22 ), e a nos revestir do novo ( Ef 4:24 ), anulando, assim, toda a nossa formação anterior, a fim de podermos nos apresentar diante de Cristo, da mesma maneira que Ele se apresentou diante do Deus Todo Poderoso ( Ef 5:26-27 ).
Nas religiões pagãs, prega-se a existência de um Deus interior, que cada um de nós somos um Deus, e que por isso somos auto-suficientes. Esse tipo de pensamento anula o valor do Sacrifício Vigário na Cruz do Calvário.
A Inveja é um mal que corrói o homem, Salomão nos fala que a inveja é a podridão dos ossos ( Pv 14:30 ). Um crente que carrega este mal consigo é como um câncer em meio à congregação ( Ecl 4:4 ), pois acaba revelando todos os males de seu coração e manifestando a natureza de Satanás. Assim iniciam as facções, divisões, grupos, panelinhas, etc... ( II Sm 15:2-6 ). Semelhantemente, Satanás procedeu com os anjos no céu até ganhar a sua confiança, e enganou a terça parte.
O divisor, quando começa a conquistar as pessoas, tem como único objetivo montar seus grupos, de forma a encontrar apoio e força para resistir ao seu superior. Porém, quando não alcança seu objetivo, então começa a falar mal da Igreja, não aceitando mais a doutrina aplicada pelo ministério. O que outrora, era uma doutrina santa e pura, agora é do homem e profana. Ele procura , dentro da palavra de Deus , justificar as suas aberrações, quando a Bíblia nunca justifica erros de ninguém ( Mt 1:11 )
Vamos falar agora do primeiro divisor: Satanás
Em sua rebelião, Coré atraiu a si seguidores que conseguiu enganar, entre eles 250 homens maiorais da congregação, chamados ao ajuntamento, varões de nome. Diante daquele partidarismo na congregação de Israel, Moisés faz um desafio para provar a todos que o Senhor estava contra aquela divisão. Foi quando a terra abriu a sua boca e tragou os divisores , vivos, com as duas casas, como também a todos os homens que pertenciam a Coré, e toda a sua fazenda ( Nm 16:4-35 )À luz da palavra de Deus, compreendemos que, quando da criação dos seres celestiais, Deus criou também um querubim ungido par proteger ( Ez 28:14 ). E este tinha livre acesso aos céus e regia o coral celestial ( Jó 38:7 ). Mas o querubim não se contentou com a sua posição privilegiada diante do trono de Deus. Ele era o mais formoso querubim, pois era perfeito em sabedoria. Seu resplendor era como a estrela da manhã ( Is 14:13,14 ). O querubim contemplava o trono do Altíssimo acima de todas as coisas, e seu coração foi corrompido, despertando o desejo ambicioso de dominar e controlar o Criador e a criação.
Firmou-se em glória, a qual não era dele mesmo, mas sim misericórdia de Deus, e trabalhou a fim de induzir o maior número possível de anjos a se rebelarem contra o Criador ( Is 14:13,14 )
Mas como a onisciência de Deus é atuante, Deus lhe permitiu levar avante o seu plano, enganando a terça parte dos anjos de Deus.
Estes foram derrotados e lançados em cadeias eternas ( Judas 6 ), e, ao querubim, Deus deixou solto por um pouco de tempo , apenas para provar as nações.
No Éden, vemos a figura do querubim ( Satanás ) aparecendo como uma serpente, pronta e apta para enganar o homem, tomando a mulher como vaso mais fraco. Ciente do plano de Deus para a raça humana, Satanás procurava frustrar os planos de Deus . Todavia , quando o adversário avança sobre nós , procurando nos derrotar, o Senhor o faz com que o próprio Universo conspire para o bem estar dos seus servos.
Satanás em suas investidas, procurou usar alguma coisa que fosse familiar ao homem. Como tinha convivência com os animais, o inimigo escolheu a mais frágil das alimárias : a serpente.
Podemos ver que a arma usada por Satanás contra o homem, foi exatamente a palavra de Deus. Porém , não genuinamente a Palavra de Deus, mas sim uma palavra distorcida, a fim de induzir o mulher a transgredir. O divisor é sempre astuto e hábil (Gn 3:1-2).
ABSALÂO FOI O DIVISOR DO REINADO DO PROPRIO PAI
Satanás é hábil e veloz, mas o maior e o mais veloz é nosso Deus
O divisor não nasce somente em uma Igreja, nasce também em meio a uma família, não importando o seu nível social, pois quanto maior for o nível social, maior será a divisão.
No reinado de Daví, Absalão, que além de divisor também era assassino de Amnom. Após retornar do exílio à Jerusalém , Absalão assentou em seu coração dividir a reino do seu pai e usurpar o trono real, não aceitando , da mesma forma que Satanás, a condição de príncipe.
Absalão começou a agir como Satanás agiu par com os seus anjos, e se posicionou na porta da cidade, ocupando uma posição de uma pessoa para a qual todos levavam suas demandas ( II Sm 15:2 ). Absalão chamava as pessoas que costumavam ir ter com Davi, e lhes julgava as causas ( II Sm 15:3-5 ). Vemos que Absalão mostrava-se contra as determinações de seu pai, o rei.
Absalão usava de astúcia para agradar o povo, com objetivo de criar um reino paralelo e dividir o reino de seu pai. Mas Deus não desamparou o rei, ainda qu e o ocorrido resultasse na morte de Absalão, contra a vontade de Davi ( II Sm 15:31 & 17:14 ). O fim de todo divisor é a morte, tanto espiritual como física
Podemos ver que , em vários pontos, Absalão apresenta a atitudes e maneiras de agir comuns a Satanás. Isto porque ninguém que tenha o Espírito de Deus pensa em dividir a obra. Sabemos que quando uma pessoa possui o Espírito Santo, ao assumir um trabalho na obra de Deus, jamais irá parar o que estava em andamento , mas simplesmente dará continuidade ao trabalho de seu antecessor.
Podemos ver o exemplo de Daniel, quando este entende a profecia do profeta Jeremias em relação às setenta semanas ( Dn 9:2,3 & Jr 25:11,12 ). Daniel segue profetizando segundo a mesma inspiração que teve Jeremias.
PAULO E APOLO EM CORINTIOS
Em I Corinto 1:10, um espirito mundano e a falta de espiritualidade causam dissensões e adversidades na Igreja de Corinto. Por quê?
Apolo era um importante obreiro da Igreja primitiva. Nasceu e foi educado na " segunda Atenas", isto é, a cidade de Alexandria, no Egito. Teve importância social entre o limitado número de judeus que possuíam cidadania alexandrina. O fato de pertencer ao mais elevado quadro social daquela famosa cidade é indicado por Lucs, em Atos 18:24-28.
Como homem " instruído", recebeu formação de "nível universitário" na arte de falar bem e com eloqüência , na valorizada educação grega. Era um ensino disponível apenas para leite, devido aos seus elevados custos. Lucas diz que Apolo era "poderoso" no uso das Escrituras.
Apolo queria exercer seu ministério do outro lado do mar Egeu, na província de Acaia, cuja capital era Corinto. A Igreja em Éfeso o encorajou a ir. Escreveram uma carta de recomendação para os cristãos coríntios, pedindo que o recebecem. Nessa época, Priscila e Áquila eram o eo entre as duas igrejas ( Atos 18:2 ). Apolo fortaleceu grandemente a comunidade cristã de Corinto. Permanecendo por algum tempo na cidade, e engajou-se numa obra promissora.
Com o retorno do Apolo a Éfeso, os crentes que se converteram por meio de suas pregações viram a si mesmos como pertencentes a ele. Os coríntios o convidaram para trabalhar em sua cidade, desconsiderando Paulo, embora o apóstolo tivesse exercido um ministério eficiente na cidade por dezoito anos ( II Co 10:10 )
DIVISÔES NOS TEMPOS DE MOISÉS
Paulo não demonstrou qualquer ressentimento contra Apolo, quando escreveu aos coríntios. Ele apenas se recusou a envolver-se com métodos seculares de pensamento dos crentes daquela igreja. Em I Co 4:6,7 o apóstolo condena a competição entre suas qualidades e as de Apolo, ao chamar de tal atitude de "imatura" e "mundana". Ciúmes e rivalidade entre professores eram exatamente o que os mestres e discípulos seculares promoviam , com seu espirito competitivo na luta pela reputação de sua escolas e por maior influência nas assembléias ( I Co11:3 ; Ct 1:11 ). Tanto Paulo como Apolo eram de tal estatura espiritual, que nenhum dos dois reagiu ao jogo de poder dos coríntios, mas continuram empenhados em prol do bem estar da igreja.
SINTOMAS PERIGOSOS DO OBREIROS
Coré, Datã e Abirão foram os três divisores que, com suas astúcias, convenceram 250
Dos maiorais da congregação dos filhos de Israel, chamados varões de nome. Consideravam-se fortalecidos, pois convenceram e arrastaram após si dirigentes das congregações. Também convenceram grande parte do povo de Israel, fazendo com que se unisse a eles, ao mesmo tempo que se levantava contra Moisés e Arão ( Nm 16:1-3 ).
Moisés, percebendo a divisão, decide fazer um desafio e também se prepara para fazer uma prova , dizendo; " Amanhã saberemos quem é o Senhor" ( Nm 16:5 ).
O desafio de Moisés foi decisivo. Ele fez a prova porque sabia que a divisão nunca foi de Deus, mas sim do dragão, a antiga serpente, chamado diabo e satanás ( Pp 12:7-9 ).
Deus, através de Moisés, adverte ao povo de de Israel que restou da divisão, dizendo: "Não podeis participar de nada com os divisores nem podeis tocar em nada que lhes pertence". Peço-vos que desviai-vos das tendas destes homens ímpios, para que porventura não pereçais em todos seus pecados ( Nm 16:23-26 ).
Moisés disse ao povo de Deus: "Nisto conhecereis que o senhor está comigo: se estes homens morrerem como morrem todos homens, então o Senhor não me enviou. Mas se o Senhor criar alguma coisa nova e abrir a sua boca e os tragar com tudo que é seu, e vivos descerem ao sepulcro, então conhecereis que estes homens irritaram ao Senhor""( Nm 16:28-30 ).
E Deus confirmou as palavras de Moisés, pois este estava mostrando ao povo de Israel que a divisão causada por Coré, Datã e Abirão, não era nada procedente de Deus. Os divisores afirmavam que Deus era com eles, porém sua atitude foi a divisão, incitando povo contra Moisés e contra Arão ( Mn 16:1-3,13,14 ).
Então, depois das palavras de Moisés, a terra abriu a sua boca e os tragou vivos. E os 250 homens de nome, qu e eram os maiorais da congregação do povo de Israel, foram consumidos na hora pelo fogo do Senhor ( Nm 16;31-35 ).
Irmãos e irmãs, meditem nestas palavras da Santa Bíblia e mantenham distância daqueles que se tornaram divisores da Obra do Senhor, par não perecerem juntamente com eles, pois esta foi a palavra do Senhor através de Moisés ao povo de Israel qu e restou da divisão: " Desviai-vos das tendas destes ímpios homens e não toqueis em nada do que é seu, para que não pereçais em todos seus pecados ( Nm 16:26 )
SEBÁ, O DIVISOR
É normal que o divisor sempre trate de bajular o povo, fazendo mal intencionado. Vejamos o que dizia Joroboão ao povo de Israel: Vamos preparar para vocês dois lugares de adoração, um em Betel e outro em Dã. E não será mais necessário que vocês tenham que ir à casa do Senhor, em Jerusalém ( I Reis 12:26-29 ).
Porque dizia Joroboão: Se este povo subir para fazer sacrifício na casa do Senhor, em Jerusalém, o coração deste povo não estará comigo ( I Reis 12:27 ). Foi tão grande a sua astúcia com o povo de Deus, que Joroboão fez dois bezerros de ouro, colocando um em Betel e outo em Dã, e induziu o povo de Deus a adorá-los. E ainda mais: Para cativar seus seguidores, Jeroboão lhes oferecia cargos elevados, até mesmo o sacerdote. Geralmente, os divisores seguem esta linha , oferecendo isso e aquilo ao povo, tratando de cativar as pessoas.
Hoje, também é possível que haja dirigentes e até responsáveis de regiões que deixem transparecer que não apoiam a união dos irmãos e irmãs de suas regiões com a sede mundial, como, por exemplo, nas confraternizações, campanhas, vigílias, reuniões ministeriais, festas especiais na sede mundial, e outros eventos que trazem a união do povode Deus. Também existem lugares em que os dirigentes e responsáveis de regiões, estados ou países, não providenciam para o povo de Deus as transmissões da sede mundial via satélite, ou or outros meios de comunicação, as quais não somente trazem união, mas também as bênçãos do Senhor. Jeroboão colocava dificuldades e obstáculos para o povo de Deus não ir adorar ao Senhor em Jerusalém, dizendo que seria muito difícil e trabalhoso para o povo de Israel ir até lá ( I Reis 12:28 ). Talvez você tenha percebido ações, atitudes semelhantes às de Jeroboão. Mas você não vai concordar com esse Jeroboão, mas vai, sim comunicar à sede mundialque aí em sua região há um Jeroboão. 
O EX- PROFETA BALAÃO
Sebá intentou fazer um povo para si. Então, depois de tudo preparado, ele toca a buzina em sinal de alerta para dar as novas ao povo de Deus, e, para surpresa do rei Davi, as novas de Sebá foram as seguintes: Desde agora não temos obrigação, responsabilidade, nem parte alguma em Davi, nem temos nenhuma herança no filho de Jessé ( II Sm 20:1 )
A influência de Sebá, fiho de Bicri, sobre o povo de Israel era muito forte, de tal maneira que ele, com artimanha, hipocrisia e bajulação, ganhou o coração do povo para si. Quando Sebá deu o grito, ao toque da buzina, o povo deu ouvido a sua voz , deixando de seguir a Davi, que foi escolhido e ungido pelo Senhor, para seguir a ele, Sebá o bajulador, o hipócrita, o enganador... ( II Sm 20:2 ).
Mas como em todas as divisões nem todos caem, sempre há aqueles que não se confundem com nada, e por nada desta vida concordam com a ação de divisores, porque são estudiosos da Palavra de Deus. Foi este o caso daquele povo qu e não seguiu Sebá, o qual, em pouco tempo, causou um transtorno tal em Israel, que quase destruiu o povo qu e o seguiu ( II Sm 20:13-15 )
Entretanto, quando a mortandade estava prestes a acontecer, então a justiça de Deus se manifestou no meio daquele povo que foi enganado pelo divisor Sebá, de forma que em lugar da destruição total de uma cidade e de um povo e de todo povo que foi enganado, apenas o divisor foi exterminado, e a cidade e o povo em geral ficaram em paz ( II Sm 20:16-22 ).
Irmãos e irmãs, não ponham em perigo as suas vidas, dando ouvidos àqueles que se transformaram em divisores como Sebá e tantos outros, dos quais conhecemos seu passado registrado na Santa Bíblia, e cujo fim foi ruína e destruição total.
Balaão foi um profeta. Deus era com ele de tal maneira que tinha visões com olhos abertos ( Nm 24:15-16 ).
Ademais, Balaão foi aquele que, a quem ele abençoava , era abençoado, e a quem ele amaldiçoava, era amaldiçoado ( Nm 22:6 ).
Balaão o profeta que abençoava o povo de Deu, virou a cabeça. Mas por que virou a cabeça?
Por interesses pessoais. Quando o Rei Balaque lhe mandou dizer: "Vem comigo e não demores, porque grandemente te honrarei e te farei o que tu queres. Vem, pois, comigo, e amaldiçoa a povo de Israel" ( Nm 22:15-17 ). Leiam também em Nm 22:5.
Observem que o rei Balaque foi insistente para poder corromper o Profeta Balaão. E por que ele foi insistente? Porque na primeira vez em que o rei Balaque enviou mensageiros, Balaão não foi, mas ficou muito interessado, tanto que, mesmo sabendo que não deveria ir com os moabitas por serem eles um povo que lutava contra o povo de Deus, Balaão pediu que os mensageiros de rei Balaque passassem aquela noite em sua casa, pois no outro dia ele daria a resposta. Lembre-se de que a comitiva levava nas mãos o preço dos encantamentos para Balaão ( Nm 22:5-8 ).
Vejamos que naquela noite veio o Senhor Deus e perguntou ao profeta Balaão: "Quem são estes homens contigo?" Balaão disse: " Eles vieram a mim e querem que eu vá com eles para amaldiçoar o povo de Israel". O Senhor lhe respondeu: "Não irás com eles e não amaldiçoarás a este povo, porque bendito é" ( Nm 22:8-12 ).
O rei Balaque recebeu a notícia de que Balaão não veio com os seus mensageiros, e também foi informado de que o profeta ficou muito interessado no assunto. Balaão já tinha perdido o temor de Deus, e era uma grande vantagem pessoal aceitar as fortunas do rei Balaque . Nesta altura, o coração de Balaão já tinha mudado. Agora ele estava disposto a lutar do outro lado e a deixar de abençoar o povo de Israel. Balaão apenas esperava uma ocasião para ir com o rei Balaque ( Nm 22:20,21 )
O rei Balaque enviou a Balaão a segunda comitiva de príncipes do seu reinado, cujo membros erma mais honrados do que os primeiros, para convencer Balaão a ir até o rei Balaque, a fim de fazer fracassar o povo de Israel. Disseram eles a Balaão palavras do rei Balaque: "Grandemente te honrarei e te farei o que queres" ( Nm 22:16,17 ).
Cada vez crescia a amição do profeta pelas fortunas que o rei Balaque lhe oferecia, de tal maneira que, com seu coração corrompido, já dava preferências ao rei Balaque, desprezando o povo de Deus. Balaão estava disposto a lutar do lado daquele se declarava contra o povo de Israel. Novamente Balaão pede aos príncipes de Balaque que passem a noite em sua casa, pois ele iria consultar outra vez a Deus, para ver se poderia ir ou não com os príncipes até Balaque, rei dos moabitas ( Nm 22:19 )
Alguém pergunta: como pode um homem conhecedor de Deus, com os dons de Deus, que tinha suas palavras confirmadas por Deus, que tinha visões de olhos abertos, e a quem abençoava era abençoado, mudar assim seu coração e o seu propósito com Deus?
Aí está uma boa pergunta. Tudo foi por causa dos interesses pessoais e da ambição pelas fortunas, riquezas e honras que esperavam por ele no reinado de Balaque. Tanto que Balaão insitia com Deus, que lhe permitisse deixar o rebanho do Senhor para ir lutar do lado de quem só desejava a derrota de Israel, isto é, Balaque ( Nm 22:19 ).
Vamos recordar que quando vieram os primeiros mensageiros do rei Balaque, trazendo consigo convite de de Balaque a Balaão, também trouxeram uma soma importante que era o preço da aceitação de Balaão ao seu convinte ( Nm 22:7 ).
Vejam a resposta de Deus naquela noite em que Balaão disse aos mensageiros de Balaque que passassem a noite ali, pois no dia seguinte lhes daria a resposta ( Nm 22:8 ).
"E veio Deus a Balaão: Quem são estes homens contigo?" ( Nm 22:9 )
Agora, vamos perguntar para nós mesmos: Será que Deus, que fez esta pergunta a Balaão, não sabia a causa da visita daqueles príncipes do rei Balaque à casa de Balaão? Lógico que sim.
Logo que Balaão deu a sua explicação ao Senhor, dizendo-lhes: Eles querem, Senhor que eu vá com eles par amaldiçoar o povo de Israel, porque disse o rei Balaque que o povo de Israel cobre toda a face da terra, e que se eu for com ele, então poderá pelejar contra Israel ( Nm 22:9-11 ), então disse Deus a Balaão: "Não irás com eles e não amaldiçoarás a este povo, porque bendito é". Observe aqui, que Deus já cortou nesta palavra o poder que tinha Balaão nas suas palavras , dizendo: Não irás com eles e não amaldiçoarás a este povo, porque bendito é" ( Nm 22:12 ).
Vejam a insistência de Balaão em receber de Deus a autorização para ir com o rei Balaque, mesmo sabendo que a sua missão lá seria lutar por Balaque e não por Israel: na segunda vez em que o rei Balaque enviou os príncipes a Balaão, este pede que passem aquela noite na sua casa, para ver o que Deus falaria com ele ( Nm 22:19 )
Lembrem-se: naquela noite, veio Deus a Balaão e disse: " Não irás com eles e nem amaldiçoarás a este povo, porquanto bendito é", mas, mediante a insistência de Balaão, querendo ir para o lado de Balaque, "veio pois o Senhor a Balaão, de noite e disse-lhe: Se aqueles homens te vierem chamar, levante-te e vai com eles; todavia, farás o que eu te disser". Mais uma vez podemos ver Deus cortando o poder de Balaão, para ele não cumprir o objetivo de Balaque. Mais tarde, a ira de Deus se acendeu contra Balaão, porque ele se ia com Balaque, mas o Senhor Deus não disse "vai". O coração de Balaão já estava apartado do Senhor, e desde então o Anjo do Senhor pôs-se-lhe no caminho por adversário ( Nm 22:12,20 & 22 ). Você sabe qual foi o fim de Balaão: ele foi morto à espada e sem Deus ( Js 13:22 ).
PAULO ADVERTE OS DIVISORES
Apóstolo Paulo, em campo de missão, já de antemão prevenia os seus obreiros para ficarem atentos a respeito de homens volúveis que surgiriam dentro da própria Igreja de Cristo, os quais causariam divisões, quando, muitos dentre o povo de Deus, na sua simplicidade, poderiam até mesmo ser enganados.
"Porque nunca deixe de vos anunciar todo o conselho de Deus. Olhai pois, por vós, e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a Igreja de Deus, que Ele resgatou com o seu próprio sangue.
Porque eu sei isto: depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho, e que dentre vós mesmos se levantaram homens que falaram coisas perversas, para atraírem os discípulos após si .
Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos não cessei noite dia de admoestar com lagrimas a cada um de vós.(Atos 20:27-31).
Geralmente, as divisões surgem quando a essência da fé se torna um fracasso e assim promove desvio da verdadeira doutrina, que é consistente pôr meio do Espirito da Piedade. Alguém ensina alguma outra doutrina e não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com a doutrina que é segundo a piedade. É soberbo, e nada sabe, mas delira a cerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas. A blasfêmia é o ato de promover desonra em tudo aquilo que é digno de honra ( II Pedro 2:10 )
"A palavras desses roerá com gangrena ( ferida crônica incurável ); entre os quais foi Himeneu e Fileto, os quais se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição era já feita, perverteram a fé de alguns" (II Tim 2:17,18).
"Então Moisés e Arão entraram na presença de Faraó, e fizeram assim como o Senhor ordenara. E lançou Arão a vara diante de Faraó e de seus servos, a qual tornou-se em serpente. Faraó também chamou os sábios e mágicos , porque cada um lançou a sua vara e fizeram o mesmo com as suas varas e encantamentos, os quais se transformaram em serpentes". Mas não prevaleceu, porquanto a vara de Arão, que demonstrava a eficácia( Valor pleno ) do verdadeiro governo divino, tragou as varas dos falsos profetas, eliminando assim o seu falso governo (Ex 7:10-12).
O inimigo não para de induzir. Ainda nesta presente época, mesmas coisas se repetem, pois o Apóstolo Paulo preveniu a Timóteo com as seguintes palavras: Assim como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim os opositores resistem na presente época ( II Tim 18:9 )
ADVERTÊNCIA A IGREJA DE PÉRGAMO
Nicolau, um dos sete diáconos da igreja Primitiva (At 6:5). Segundo a história biográfica, esse também se desviou da verdadeira doutrina de Cristo, causando sérios problemas para alguns membros da Igreja de Pérgamo, e até mesmo para seu pastor, o qual foi advertido.
"Assim tens também aos que seguem a doutrina dos Nicolaítas, os quais aborreço" ( Ap 2:15 ).
"Arrepende-te pois! Quando não, em breve virei a ti, e contra eles batalharei com a espada da minha boca. ( Ap 2:16 ).
O pastor da Igreja de Éfeso, por sua vez, foi mais prudente: "Tens, porém, isto, que aborreces a obra dos Nicolaítas, a qual aborreço também" ( Ap 2:6 ).

CONCLUSÂO DO APOSTOLO JUDAS
Vejam as palavras do Apóstolo Judas (não o Iscariotes), do versículo 10 ao 21:
10 Estes, porém, dizem mal do que não sabem; e, naquilo que naturalmente conhecem, como animais irracionais se corrompem. Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré. 12 Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas; 13 Ondas impetuosas do mar, que escumam as suas mesmas abominações; estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas. 14 E destes profetizou também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos; 15 Para fazer juízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios, por todas as suas obras de impiedade, que impiamente cometeram, e por todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele. 16 Estes são murmuradores, queixosos da sua sorte, andando segundo as suas concupiscência, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse. 17 Mas vós, amados, lembrai-vos das palavras que vos foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo; 18 Os quais vos diziam que nos últimos tempos haveria escarnecedores que andariam segundo as suas ímpias concupiscência. 19 Estes são os que causam divisões, sensuais, que não têm o Espírito. 20 Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo, 21 Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.

PR. D. BARBOSA

Assine Agora.

Receba Estudos Biblicos diariamente no seu E-mail.