Samuel - Fiel Até o Fim.

Samuel era da tribo de Levi, e foi o último juiz e o primeiro profeta em Israel. Ele também serviu como sacerdote depois da morte de Eli, e também foi escritor inspirado por Deus (I Sm 10:25). Samuel foi um dos poucos que serviu ao Senhor durante toda a sua vida (7:13,15), e foi usado por Deus para iniciar uma grande restauração em Israel que tirou o povo do domínio dos Filisteus. Como Moisés e Timóteo, Samuel tinha uma mãe espiritual que o ensinou a Palavra de Deus em casa desde a sua infância. Além de tudo isto, vemos nele as qualidades de convicção, coragem e perseverança. Leituras: I Sm 2:18; 3:1-10, 19-21; 7:2-17; 8:1-5; 9:5-6; 12:1-15, 19-25; 15:26-29; 25:1.

1. Seu Começo
Em I Sm 1 e 2 vemos Samuel como menino. Ele não ficou muitos anos em casa com seus pais, pois foi levado ao templo quando foi desmamado. Contudo, durante estes três ou quatro anos com seus pais, ele recebeu ensinos que ficaram com ele toda a vida e que moldaram seu caráter para resistir as grandes tentações que teria de enfrentar em Siló. Ele foi “desmamado” no sentido espiritual também, e não foi como os coríntios e hebreus que ainda precisavam sempre do “leite” (I Co 3:1-3; Hb 5:12-14). Quando ele foi levado a Siló, Samuel foi exposto às perversidades dos dois filhos de Eli, mas não seguiu os caminhos impuros deles. Como José e Daniel, ele tinha a convicção e coragem de ser diferente, e sem dúvida sofreu por isto.
A juventude hoje é exposta bem cedo à impureza e perversidade deste mundo. As escolas apresentam as mentiras da “Evolução”, a “nova moralidade”, etc. A Bíblia é considerada como uma lenda de pouco valor. Assim, os primeiros anos em casa são de grande importância na formação de um caráter que teme ao Senhor e que tem a convicção que a Bíblia é a Palavra de Deus. “Instrui ao menino no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele” (Pv 22:6). Muitas vezes hoje crianças, e até filhos de crentes, não recebem a preparação que Samuel recebeu. A Palavra é substituída por outras coisas mundanas em casa, e a sua freqüência nas reuniões da igreja e na escola dominical é deixada à escolha da criança. O resultado destas coisas é que logo aceitam as mentiras satânicas e crescem na incredulidade e rebelião.
2. Sua Conversão (3:1-10)
Embora servindo ao Senhor duma maneira formal, Samuel ainda não conhecia a voz do Senhor. Nisto ele representa muitos filhos que obedecem aos pais e acompanham-nos nas coisas de Deus. Conhecem bem o Evangelho, mas nunca tiveram experiência pessoal com Deus e não são salvos.
Chegou a hora quando o Senhor chamou o jovem Samuel. Era noite e ele estava dormindo quando ouviu aquela voz chamando-o pelo nome, mas Samuel não percebeu que era o Senhor. Embora Deus não chama desta maneira hoje, com voz humana, muitas vezes Ele fala com jovens sobre a sua necessidade de salvação através da Sua Palavra que aprenderam. Muitas vezes Ele usa os ensinos sobre a vinda de Cristo para arrebatar os pais e parentes salvos. Muitas vezes Ele usa a morte dum amigo, ou uma doença pessoal, para falar conosco sobre o perigo de continuar sem a salvação. Prezado jovem, você conhece o Salvador pessoalmente? A salvação é pessoal e não passa de pai para filho pelo sangue, mas é recebida individualmente pela fé, como o presente de Deus que Cristo comprou por nós na cruz.
A mensagem que Samuel recebeu de Deus naquela noite foi uma mensagem solene sobre o juízo que iria brevemente cair sobre a casa de Eli. Hoje, “Deus anuncia a todos, em todo lugar, que se arrependam; porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo …” (At 17:30-31). E como aquela mensagem foi cumprida em juízo, assim será o aviso de Deus sobre o julgamento deste mundo. Samuel creu na Palavra de Deus e transmitiu a Palavra de Deus fielmente para Eli, e esta experiência pessoal com Deus foi o começo do seu serviço verdadeiro e fiel para o Senhor.
3. Seu Crescimento (3:19-21)
Desde este dia, todos sabiam que Samuel era um servo de Deus. As suas palavras e a sua vida santa como sacerdote mostraram que era homem de Deus, e ele crescia física e espiritualmente. Os jovens que confessam ser salvos estão crescendo nas coisas de Deus? “Ninguém despreze a tua mocidade, mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” (I Tm 4:12). Mesmo pela sua roupa diferente Samuel era conhecido como servo de Deus (I Sm 2:18-19)! Hoje, na dispensação da igreja, todos os salvos são sacerdotes santos (I Pe 2:5, 9) que servem ao Senhor, e a juventude cristã deve ser conhecida também pela sua roupa decente e modesta, como nos ensina a Palavra de Deus em I Tm 2:9-10.
4. Seu Conselho (7:3-10)
Aqui lemos da pregação de Samuel, e como ele exortava o povo de Deus a deixar os baalins e andar nos caminhos santos de Deus. Samuel tinha coragem de falar o que o povo precisava ouvir, e não falava para agradar seus ouvintes como muitos fazem hoje. Ele mostrou que, como povo de Deus, não podemos servir a dois senhores, e temos de nos separar totalmente dos ídolos que ocupam o coração do povo do mundo em nosso redor. Como naqueles dias, o mundo hoje tem muitos ídolos: o dinheiro, a política, o divertimento impuro, etc. “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos” (I Jo 5:21).
Vemos como o povo recebeu bem a exortação e, com arrependimento sincero, tirou os ídolos do seu meio. É isto que devemos fazer em submissão à Palavra de Deus. Neste trecho também vemos como Samuel era homem de oração. Em Jr 15:1 seu nome é ligado com Moisés como grande intercessor. De fato, Samuel considerava que seria pecado não orar pelo povo de Deus (I Sm 12:23)! Que possamos ter esta mesma atitude em exortar e orar pelo povo de Deus hoje!
Quando o inimigo atacou, o povo reconheceu o valor das orações de Samuel, e ele ofereceu um cordeiro e clamou ao Senhor pelo povo “e o Senhor lhe deu ouvidos”. O cordeiro sacrificado fala da morte do nosso Senhor Jesus Cristo e do poder do Seu sangue na presença de Deus. Nós podemos vencer porque Ele venceu por nós na cruz!
Samuel louvou ao Senhor pela grande vitória contra o inimigo, e tomando uma pedra como lembrança da fidelidade de Deus a chamou de “Ebenézer”, que significa “até aqui nos ajudou o Senhor”. Que lindo exemplo para nós! A nossa pedra é Cristo ressuscitado, que nos traz a certeza da vitória contra o inimigo e nos dá motivo justo de louvar e adorar Àquele que nos salvou eternamente.
5. Sua Casa (8:1-5)
Samuel morava em Ramá e tinha família ali. Não sabemos nada sobre sua mulher, mas sabemos que tiveram dois filhos, Joel e Abias. Também sabemos que o testemunho destes filhos, embora não tão ruím como os de Eli, não era como o de seu pai. Infelizmente, embora Samuel os constituiu juízes sobre Israel, Deus teve que deixar escrito que Joel e Abias foram levados pela cobiça e materialismo. O povo notou a grande diferença entre os filhos e seu pai, e usou isto como desculpa para pedir um rei.
É triste observar estas coisas, e gostaríamos de esquecê-las, mas Deus as deixou escritas para nosso ensino. Mais uma vez vemos como os filhos da liderança têm grande responsabilidade perante Deus. Por que aconteceu isto? Não queremos julgar Samuel, e reconhecemos que nem sempre bons pais têm bons filhos. Uma coisa sabemos, é que Samuel viajava muito e passava muito tempo longe da família (7:16). Possivelmente a sua esposa não era do mesmo pensamento de Samuel e mostrava um exemplo mau para os filhos. A presença do pai em casa é muito importante, e a disciplina dos filhos é a sua responsabilidade (Ef 6:4 — a palavra “pais” aqui é masculina). Os servos de Deus têm de lembrar de suas responsabilidades em casa, ou um dia poderão lamentar: “me puseram por guarda de vinhas; a vinha que me pertence não guardei” (Ct 1:6).
6. Sua Coragem (13:13-14; 15:26-29, 35)
Já temos notado a coragem de Samuel em falar toda a verdade para Eli e para o povo de Israel. Aqui vemos a sua coragem em tratar com o Rei Saul. Não é fácil falar coisas pesadas para o rei! Pode até ser o motivo de perder a vida, como João Batista provou. Certa vez Saul matou 85 profetas de Deus no mesmo dia. Contudo, Samuel não tinha medo de Saul, e não modificou a Palavra de Deus para este rei desobediente.
Irmãos, nós que manejamos a Palavra de Deus não podemos escolher as mensagens que trazemos para sermos mais aceitáveis perante o povo. Temos de anunciar toda a Palavra de Deus, e vivemos em dias quando a igreja precisa de muita exortação e correção. Isto tem de ser feito no espírito de amor e de firmeza, como vemos aqui em Samuel (v. 26, 35).
7. Seu Caráter (12:1-5; 25:1)
Samuel era conhecido como homem de Deus em Israel. Quando chegou a uma boa idade ele chamou o povo e prestou contas do seu serviço perante eles. Aquele povo, embora muitas vezes rebelde à palavra de Deus, teve de reconhecer que Samuel era irrepreensível perante o Senhor e perante o povo. Que testemunho lindo depois duma vida inteira no serviço de Deus! Samuel começou bem, continuou bem e terminou bem.
É uma coisa começar bem com o entusiasmo do primeiro amor. É outra coisa completar a carreira com honra. Um dia nós também teremos de prestar contas perante o Senhor pelo nosso serviço aqui na terra (II Co 5:10; Hb 13:17). Seremos achados como Samuel, irrepreensíveis, naquele dia?
Samuel despediu-se do povo com exortações sobre a necessidade de santidade no serviço de Deus, e prometendo orar por eles (v. 23). Seria pecado para ele parar de orar por eles. Samuel sabia que, além dos pecados que cometemos, há pecados de omissão.
Em 25:1 vemos a morte de Samuel. A sua vida não foi fácil e ele não viu o fruto que tanto desejava ver, nem em casa, nem com o rei Saul, nem entre o povo de Deus. Contudo, Samuel não desanimou, mas completou a sua responsabilidade em Israel. Ele é lembrado em Hb 11:32 entre os que demonstraram fé e justiça. Samuel perseverou até ao fim e nisto nos deixou talvez a sua qualidade maior — a perseverança. Há muito hoje ao nosso redor para causar desânimo, e o amor de muitos está esfriando. Vamos continuar na luta, como Samuel, pois o fim da carreira está bem perto.


Assine Agora.

Receba Estudos Biblicos diariamente no seu E-mail.