[Esboço de Pregação] A Seiva da Oliveira - Romanos 11.17.


A Seiva da Oliveira - Romanos 11.17.
A semente da oliveira tem uma trajetória por todas as escrituras.
Israel é a Oliveira de Deus, Jesus é sua Seiva.
1 - Genesis 8.11. aparece pela primeira vez o raminho de oliveira no bico da pomba Simbolizando um povo que não se corrompe nem é destruido, aqueles que sobrevivem.
Israel foi espalhado sobre a terra, por quase dois mil e num só dia foram novamente reunidos.
“Quem jamais ouviu tal coisa? Quem viu coisas semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra num só dia? Nasceria uma nação de uma só vez? Mas Sião esteve de parto e já deu à luz seus filhos (Is 66.8). 
14 de Maio de 2011, 63 anos desde o renascimento da Nação de Israel. A igreja que viu os filhos de Israel sendo obrigados a deixarem sua pátria, contempla agora o seu retorno. Tal fato deve ser motivo de alegria para toda igreja, pois este acontecimento aponta para a volta de Jesus, além de engrandecer e exaltar o nome do nosso Deus, pois nós, como conhecedores da sua Palavra, testemunhamos a soberania e fidelidade de Deus. A história de Israel segue em frente, trazendo de volta os judeus dispersos de todas as partes do mundo para a terra prometida (ver Ez 37.21,22; Am 9.14,15), até o grande dia em que Nosso Senhor Jesus Cristo voltará em grande poder e glória para estabelecer em Jerusalém o seu Reino Milenar de Paz (ver Mt 5.35; 24.30; 25.31-24).
2 - Salmos 52.8. Fala do proposito da oliveira: Nascer, florecer e frutificar.
3 - Salmos 128. Fala da capacidade de crescimento, a oliveira não depende apenas da semente para se multiplicar, as raizes da oliveira "caminham" abaixo do solo e rasgando para superficie um "joelho" de raiz formando ali uma nova arvore, uma unica arvore pode povoar muitos metros quadrados de outras arvores atraves dos "joelhos" que rasgam o chão.
4 - João 15.2. Aqui aparecem tres personagens, O lavrador, a planta e os ramos, Pela ordem... Deus o pai é o lavrador, Jesus é a oliveira e a igreja é os ramos, (em certo sentido Israel tambem pode ser os Ramos mas em segundo plano uma vez que a igreja foi eleita pela Graça para assumir a mais sublime posição diante de Deus). O lavrador cuida da oliveira, e aqueles rmos que não participam mais da Seiva são cortados e lançados no fogo.
     a) A seiva é vida para os ramos.
     b) A seiva alimenta os Ramos.
     c) A seiva cicatriza os ramos.
     d) A seiva é gera os frutos.
     e) A seiva é a vida de Deus.

“Se o fato de terem sido eles (os judeus) rejeitados trouxe reconciliação ao mundo, que será o seu restabelecimento, senão vida dentre os mortos? E, se forem santas as primícias da massa, igualmente o será a sua totalidade; se for santa a raiz, também os ramos o serão. Se, porém, alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo oliveira brava, foste enxertado em meio deles e te tornaste participante da raiz e da seiva da oliveira, não te glories contra os ramos;” (Rm 11:15-18).
  
O Senhor enxertou a oliveira brava na natural por três razões:



  1. Para ser participante da raiz (Abraão, Isaque, Jacó): as promessas e as bênçãos que tanto almejamos na Bíblia foram feitas a estes homens e suas gerações. Se quisermos ter parte nesta herança, temos que primeiro ser da família. Por ser participante da raiz, podemos ter certeza que as promessas e bênçãos prometidas a esses homens, chegarão até nós.
  2. Para ser participante da seiva (Jesus): seiva bruta é o líquido contendo, sobretudo íons minerais que sobe das raízes em direção as folhas, aos botões, as flores, circulando nos vasos do tronco. Essa subida resulta de forças ligadas a transpiração das folhas aos fenômenos da osmose e da capilaridade. Ao nível das folhas a seiva sorve água por transpiração e se enriquece em substâncias orgânicas (açúcares, aminoácidos, amidos produzidos pela fotossíntese). Torna-se então seiva elaborada que circula lentamente pelos tubos do líber, para alimentar as partes ativas da planta; é o sangue; substância; elemento vital, que dá força, vigor e energia.
  3. Para dar frutos: o fruto além de ser alimento é a base da continuidade da espécie da árvore. Quem se alimenta do fruto se torna participante da continuidade da vida.
Conclusão:

Agora que recebemos tão grande Graça capaz de fazer de nós, que nada éramos, participantes da herança daqueles que por direito a tinham e agora que recebemos vida nEle, que é a razão de tudo, devemos dar frutos de justiça e misericórdia, os quais fazem parte da natureza da árvore em que fomos plantados.

Fomos chamados para uma grande obra. Carregamos em nós o alimento e a cura para as nações (Ap 22:2).

Agora vá e frutifique, pois a árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada no fogo (Mt 3:10)! Mas a que dá frutos o faz em Cristo e para glória e louvor de Deus, o Pai (Fp 1:11).

Assine Agora.

Receba Estudos Biblicos diariamente no seu E-mail.